Janela

Toma conta de mim.

Cede seu (a)braço um pouquinho.

Mesmo nas horas que eu pareço forte.

Às vezes, preciso fugir de mim.

Seja meu abrigo.

Eu pareço dar conta de tudo,

Mas tem uma hora que estanco.

Sofro.

Choro.

Quero colo.

Careço de sorriso,

Seu carinho em meus olhos,

Minha paisagem favorita.

Às vezes, quero me abrir feito janela:

E ver você debruçado em minhas margens.

Por Dy Eiterer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: