Poesia e prazer: corpo e alma em sintonia

Dy Eiterer

O juizforano Murilo Mendes já dizia que “poesia não pode nem deve ser um luxo para alguns iniciados: é o pão cotidiano de todos, uma aventura simples e grandiosa do espírito”.

Sendo assim, as inúmeras possibilidades da poesia alcançam a todos para a vivência com a palavra, respeitando a individualidade de cada um.

A poesia traz em si a subjetividade e vários níveis de percepção do mundo, chegando a nos tocar em profundidades e intensidades diferentes, mas sempre com precisão.

De certa forma, ela atua na transformação do mundo, nos liberta em tempos mais opressores e tristes e nos reveste de uma coragem para vivenciarmos nossos desejos mais íntimos: eis que a poesia erótica se apresenta, então, como a sintonia dos prazeres da carne e da alma.

Cabe na poesia erótica  um espaço para pensarmos  sobre o erotismo,  o corpo, o desejo, as fantasias,  promovendo nossas perspectivas mais íntimas, seja na tarefa de escritor, dos poetas que se lançam nessa seara, seja na formação, transformação e aproximação dos leitores.

Entre alguns traços da poesia erótica, destacamos o estreito diálogo com a mitologia, a psicologia, a filosofia, a religião, além de se abrir para temas do corpo, alma, sexualidade, desejo, que podem nos levar a novos olhares e perspectivas do conhecimento tanto desses temas quanto do próprio corpo e dos sentimentos.

O erotismo faz parte da vida humana, pois somos movidos pelos nossos desejos, sejam eles sexuais, profissionais ou pessoais, e estamos sempre buscando algo que nos falta.

A leitura de poemas eróticos nos introduz em um terreno de mistério, clamando as influências de Eros e nos traz enigmas, linguagem, representação que se manifesta em nossa relação com o outro e com a vida, de modo que podemos dizer que ao se entrar na leitura de poesia erótica, de fato, estamos realizando um exercício de nudez: encaramos o desejo ali descrito e o tornamos nosso.

Apropriamo-nos daquele desejo e despertamos o nosso próprio. Damos outros significados. (Re)criamos o poema do autor.

Nesse sentido,  recomendamos a leitura de toda a forma de poesia, mas especialmente a de versos eróticos.

Aproveitamos para anuncia, em Juiz de Fora, o lançamento da Coletânea Poemas Hot – Versos Ardentes, no próximo sábado, dia 19/10/19, às 18h, no Berbere Café e Cerveja (Av. Presidente Itamar Franco, 888), com uma feitura toda artesanal pelo trabalho da Mozerat Edições, de Belford Roxo, Rio de Janeiro. O evento contará com a presença de autores que constam na obra.

Um comentário em “Poesia e prazer: corpo e alma em sintonia

Adicione o seu

  1. “Escrever salva, Raduan Nassar.

    Nos salvamos na agonia do papel em branco.
    Nos salvamos no olhar das palavras nos olhando com delicadeza.
    Nos salvamos no olhar do outro que olha o acasalamento silencioso de letras e significados na magia do encontro.
    Nos salvamos mesmo quando o cansaço nos consome para que renasça o prazer de estarmos sós à espera de outras vidas, outros amores, outros olhares em direção ao que nos salva… ESCREVER.

    Carlos Borges

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: