Fagulhas

Dy Eiterer Na falta do que sentir, encarava as paredes.Na falta do que cantar, calava as esperanças. Emudecia até os Chicos (Buarque, Cesar, Science) com seu desprezo pelo som próprio e alheio.Imersa na solidão que cobre as casas nas madrugadas e toma lugar até nas camas dos casais, estalava os dedos e imaginava faíscas.Faíscas.Centelhas.Fagulhas.O instante... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑