Outra via

Dy Eiterer Não sou sua ferida,Mas sou de carne, viva.Com o calor do sangue,Com a cor dos desejosE entre suas mãos,Sou outra via,Outra poesia.Aquela que já recebeu escrita,Mas que lê como lhe convém.Entrelaçar de caminhos,De mãos, de pernas, de sonhosCabe seu nome em meus lábiosCabe seu verso em meu compasso,Mas eu, que sou de impulsos,Saberei... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑